segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Homem Fresta


Já sei que você não presta
tudo em você fresta
e faz frio quando venta
molha quando chove
Você é cheio de esquinas
dobras sem pisca pisca
e não há pisca alerta
pras tuas milhòes de arestas
Minha língua quebra
quando te chamo pelo nome
Você se recusa a entrar pra gaveta
usar uma etiqueta
fazer um sentido
qualquer que seja
E quando penso que finalmente te entendi
você salta da lata
faz uma festa
e me arrebata
sem susto
no seu mar bravio

Um comentário:

Niezvânova disse...

bela,
as gotas de luar são lindas !!!
o homem fresta, forte !
as ilustrações bárbaras ...
beijos,
márcia