terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Dormindo com o texto do Lacan




"O imaginário do sujeito falante, opostamente ao do animal- pleno, sem brechas- apresenta uma falta originária, uma hiância real que virá precisamente a ser preenchida pelo simbólico."

Leio este parágrafo, leio o seguinte. Será que existe a palavra "hiância"? Lacan inventa palavras. O cara inventa tudo. Fala em nó borromeamo, inventa uma valise de falar e ser e eu desconfio que ninguém entende nada do que o Lacan diz. Mas a gente repete. Tirei 9 na prova de Lacan. Quero tirar 10 no trabalho. Como? Sei lá. Aquelas palavras que ele repete toda hora devem ter alguma importância, se eu repetir as mesmas, numa ordem diferente e fizer uma gracinha criativa, quem sabe, a professora considera e eu levo um dez.

O humano se especifica pela fala, ele diz. No orkut e na web toda, seria pela escrita. Mas tem um monte de cachorrinhos, gatinhos e todos escrevem. Há algo de errado na teoria de Jaques Lacan no que se refere a orkut. Há até sanduíches que escrevem no orkut. Então, definitivamente, há algo de errado na teoria de Jaques Lacan e mais mistérios entre o cú e a terra do que o céu pode imaginar. Sim. Escrevi cú com acento em vez de sem e as regras ortográficas mudarão em 2008, eu descobri no orkut. E sim, foi um ato falho. Era para ser céu, virou cú e com acento. Homenagem ao cara que me dá aulas de sexo anal por correspondência, também encontrado no orkut. Então isto quer dizer que sou uma sujeita barrada segundo Lacan ou uma vadia safada segundo o povão?

Freud não explica. Na internet, Freud teria de repensar tudinho. Lacan daria saltos sem pára-quedas e sem valise de ser-falar.

Olha só o que os caras falam sobre imaginário: “para descrever apenas os ciclos instintuais dos animais, nos quais se pode ver ocorrer certo número de deslocamentos, que significam um esboço de comportamento simbólico. Por exemplo, num ciclo de combate surge deslocado, um comportamento de ostentação e um dos combatentes começa a alisar as plumas”. Que heresia isso é para meu amigo poeta, fruto e semente de um imaginário fantástico.

Se alguém entendeu alguma coisa dessas que escrevi, por favor, me telefone. Tenho até semana que vem para entender tudo. Na época da prova, esta que tirei 9, dormia sempre que estudava Lacan. Dormir sobre Lacan me fez bem. E eu tirei 9. Logo devo dormir? E sonhar com minha comunidade de orkut. Todos escrevendo bobagem. Graças a Deus, nem tudo é Freud, nem tudo é Lacan. Sonhei que levava um tiro na cabeça e usava um chapéu com pano muito grosso que me salvava.

Aproveitem e me expliquem meu sonho também. Muito além da teoria de Lacan. O outro é o lugar do significante, o registro do simbólico. Vocês são meus outros prediletos. Muito além do princípio do prazer? Não. Exatamente nele. Em algum lugar li que no inconsciente tudo é sexual. Então, sendo assim, estamos no bom caminho. E eu nem fumei nada faz é tempo.

6 comentários:

Carol Carvão disse...

Quanto mais se explica... Mais se complica... Na compreensão tudo se resolve!!
Bjs e adorei o blog!!

Evora disse...

O imaginário e o simbolismo caminham juntos, pense no simbolismo do alisar as penas e da ostentação perante o inimigo. Entenda esta passagem e toda a teoria está explicada.
Estarei sendo simplista demais? rsss

Bjo

Tche* disse...

HIANCE (A.L.): neologicamente traduzido por hiância. Termo já justificado, alhures, Psicanalisar de Serge Leclaire. Cf. páginas internas.

HIÂNCIA (J.B.F.): Falha entre a falta-a-ser e o complemento materno.

Evelin disse...

O que eu acho incrível no texto do Lacan é que ele prova: o poder do imaginário - quando ele consegue que muita gente fique babando por ele; o poder do simbolico - quando ficamos crentes que as palavras sempre querem dizer algo além...; e o poder do real - quando insistimos em dizer/entender o que nao pode ser entendido/dito.

Lacan é muito, muito inteligente,sagaz, oportunista. Mas eu nao canso de me perguntar: quando estamos lá, diante de nossos pacientes - o que significa estarmos sozinhos diante de nós mesmos -, será que estamos fazendo o que deveriamos estar fazendo, ou estamos "trepando" com as teorias?
Bjs. EP

Gato Vadio disse...

Lacan...um neologista?! Sim, neologismo faz parte da vida dum poeta, escritor, mas...Lacan?! Estou pasmo. Com Lacan e com tua ótima crônica - abraço do Jorge

Alessandra disse...

Olá, Cynthia! De fato dá a impressão de ser invenção, mas isso tudo que vc citou está muito bem assentado na ciência e na arte, muitas vezes. Há um rigor impressionante na obra de Lacan que um artista certamente sabe encontrar, pois ecoa em um ponto em comum para o psicanalista e o artista: o estilo. Bons estudos para vc! Alessandra